TERRAMAX Capacitação e Treinamento

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Um Brinde à Evolução

De 13/04/2013 a 27/04/2014


Mais de um ano depois, há um misto de sensações e sentimentos com relação a todo esse projeto.

É sem dúvida um dos projetos mais complexos e intensos ao qual nos dedicamos, natural então que fosse marcado por dificuldades e um progresso lento. Claro que tudo isso está pautado pela dificuldade financeira, o que potencializa todos os extremos e nos coloca em desvantagem. Porém esse fator faz com que cada vitória tenha um grande significado e dá sentido a cada etapa, cada peça, cada gota de suor dedicada a tudo isso.

Hoje, 1 ano, 1 mês, 9 dias e 7 horas desde o início dos trabalhos, eu particularmente convivo com diversas sensações angustiantes, outras estimulantes e algumas várias incertezas. Chegamos tão longe com isso tudo e agora falta tão "pouco" para concluir nosso sonho que a ansiedade toma conta e certas vezes atrapalha o discernimento. É como estar tão perto e tão longe ao mesmo tempo. Não conseguimos o montante necessário para terminar e sequer temos uma expectativa disso. Ao constatar isso, o desânimo nos toma conta.

Quase que ao mesmo tempo, ao estar lá, trabalhar na lida com o mato, com resina, com as tarefas que executo eu mesmo para economizar e também pela higiene mental que isso me proporciona, volto a sentir o estímulo de continuar batalhando, reconhecendo o grande avanço e a grandeza do que foi construído, gerando aquela força interior que me faz voltar a sentir motivação.

Nesses últimos dias tenho sido bombardeado com lembranças aleatórias dos estágios dessa obra, flashes de memórias e imagens das situações mais marcantes. Lembranças como o primeiro dia em que algumas paredes foram demolidas, uma sensação conflitante de caos com progresso. Ou a sensação de andar dentro da casa com o aterro interno que fizemos para elevar o contrapiso, barro por toda parte, um cenário de guerra. As horas e horas com trena na mão, prumo, nível, andando de um lado para o outro, conferindo as primeiras fiadas. A sensação de estar na laje da antiga casa, vendo as novas paredes crescendo ao redor. Os medos e aflições do que estava por vir, hoje tudo coisa do passado, itens superados.

Com essas lembranças na cabeça, quando paro e olho para o presente, o que está alí construído, me encho de esperança novamente, reafirmo meu compromisso de terminar tudo aquilo da exata maneira que eu e minha família sonhamos. Consigo até prospectar o momento em que vou poder sentar em uma rede, descansar de toda essa batalha e relembrar com orgulho toda luta para chegar até ali. Tem sido o processo de realimentação da força interna que me faz continuar dedicado e motivado.

As imagens abaixo são uma pequena amostra da imensidão de memórias que tenho em minha cabeça. Só quem está ali no dia-a-dia da obra, só quem botou a mão na massa para algo ser feito, é que pode ter esse privilégio de dizer: eu construí isso tudo, dinheiro nenhum fez isso por mim.






De outro ponto de vista:







16 comentários:

  1. Sem dúvida nenhuma, esse esforço já está valendo a pena. Meus parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Parabens colega! voce ja foi bem longe...e ficou lindo suas paredes! E eu que nem na resina chegei ainda, na minha casinha destes tijolinhos... prometeram minha casa minúscula (70m) em 3meses - a partir de novembro/2013 quando começamos a planar e fazer fundação... já estamos terminando junho e nada de laje ainda! Mas a luta continua... o importante é nao desistir e ficar em cima dos operarios... Tenhos suas angustias como minhas inspirações:) obrigada! E ótimas dicas vc tem! Conta mais sobre os acabamentos quando der...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Eri! Realmente é uma batalha contínua e prolongada, as vezes parece sem fim, mas com certeza o momento de fazer tudo isso valer a pena, vai chegar!
      Agradeço a visita, pode ter certeza que quando conseguir avançar com algo do acabamento, vou partilhando aqui no blog e tentando ajudar todos que estão nesse mesmo barco.

      Abraço!

      Excluir
  3. Olá Wagner.


    Após a colocação do telhado na sua obra, vc teve que substituir o espelho de algum tijolo por ele estar quebrado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leandro. Não, não precisei mexer em nenhum tijolo. Tive uma ou duas trincas, mas agora na fase do acabamento tapamos com o próprio rejunte flexível, como foi feito da mistura da terra do próprio tijolo, acabou ficando bem uniforme.

      Excluir
  4. Eu vi na minha obra algumas trincas bem pequenas TB. Devem sumir com o Rejunte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro, fique atento a essas trincas, elas podem indicar que os tijolos não foram devidamente assentados, que pode estar ocorrendo movimentação na alvenaria ou que há algum problema no lote dos tijolos. Eu notei trincas na alvenaria da casa antiga, nos tijolos de 30 cm que lá estavam na casa que comprei antes de ampliar. Não devem comprometer a estrutura, mas é bom ficar atento.
      Se for o caso, peça para o pedreiro fazer uma mistura de terra do tijolo (esfarelando ele se for o caso) e cola, com isso você consegue fazer o preenchimento. Ou então o rejunte mesmo, se for uma fissura muito estreita, vai ter que deixar a massa menos sólida para poder preencher.

      Queria ver fotos da sua casa, tem como?

      Abraço.

      Excluir
    2. Nossa! Incrível, lendo até parece que alguém escreveu um resumo da minha obra e como me sinto hehehehe.
      parabéns pelo que concluiu até agora e continue com essa força, garra e perseverança; tenha certeza que vc chegará lá.

      aproveito para compartilhar alguma fotos da minha obra
      https://imageshack.com/a/7Rdz/1
      grande abraço

      Excluir
    3. Legal hein Danilo, essa é aquela represa enorme de Avaré? Caramba que visual, hein? Belo lugar para uma casa, parabéns!!!

      Obrigado cara, é uma batalha complicada e intensa, perdi algum tempo de vida e vários fios de cabelos, mas acho que você sabe bem o sentimento que tenho: com certeza vai valer a pena!

      Abraço e boa sorte!

      Excluir
    4. É lá mesmo. Obrigado.
      Como disse estou na mesma situação que vc. Eu não consegui finalizar a primeira etapa, que é apenas a suite master adaptada para uma quitinete enqto seu uso for apenas para os finais de semana, por isso onde vai ser o closet ficou uma cozinha americana provisoria.
      Eu tinha duas opções: abrir mão de alguns itens de qualidade e terminar essa primeira etapa, ou usar e fazer td com a qualidade que eu queria mas terminar depois. Optei pela segunda alternativa. Devo estar num estagio bem parecido com o seu; falta esquadrias, acabamento, ...e mais um monte de coisa q vc sabe bem que nunca acabar kkkkkk.
      O seu blog foi muito útil e afirmo com certeza pra quem estiver começando agora, que a leitura dele me evitou cometer erros e economizar tempo e dinheiro com as suas dicas e experiências.

      Agora estou sem previsão pra retomar o final da obra, mas certamente no churrasco inaugural espero contar com a sua presença.
      Grande abraço

      Excluir
    5. É Danilo, estamos no mesmo barco...hahaha. Ainda que eu tive sorte em conseguir chegar até a cobertura, da forma que está, avançando milimetros em cada passo, pelo menos consigo manter minhas metas vivas e dentro do escopo de fazer o melhor possível para uma casa que pretendo morar para o resto da vida. É uma batalha intensa!

      Opa, com certeza hein...minha esposa tem parentes em Avaré, é plenamente possível eu conhecer sua casa um dia. Espero que seja breve, tanto para você quando para mim...rs

      Abraço!

      Excluir
  5. Nossa Wagner, muito legal seu blog. Achei ele procurando informações sobre o " Tijolo ecológico", rs. Meu marido e eu levamos uns 10 anos para construir uma casa em São Paulo, e morando dentro, foi tanta luta...mas ano passado resolvemos nos mudar para uma cidade menor, marido militar e filhas adolescentes, muitos bichinhos de estimação, depressão e stress,São Paulo não dava mais.Escolhemos Bragança Paulista, mas encontramos nosso terreno perfeito em Atibaia. Agora começar construção novamente, só que agora temos a cabeça mais no lugar, mais certeza do que queremos para nossa família, um lugar pra envelhecer, rs. Mas o seu blog foi uma inspiração hoje para mim, pois diante de tantas dificuldades me parecia que só nós estávamos passando uma vida tentando ter uma boa moradia, quando agora percebo que é uma luta e uma busca de muitos, como a sua, que aliás está de parabéns, sua casa está linda! Boa sorte pra vc nas novas etapas que virão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Jusci, muito obrigado!

      Sem dúvidas somos muitos atrás do sonho da casa própria e outros tantos malucos como nós para construir do zero uma casa. Com certeza era muito mais fácil comprar pronto, mas por diversos motivos não era uma opção e de certa forma, não me arrependo dela.

      Nosso sonho, nosso projeto, nossas expectativas e ambições estão nessa casa e isso torna tudo ainda mais especial. É um objetivo difícil de ser alcançado, mas quando chegarmos lá, tudo valerá a pena.

      Desejo que tenha muito sucesso em sua meta, pois o objetivo é nobre e mais do que merecido. Nosso lugar, nossa casa, com certeza faz valer todo o esforço. Boa sorte e conte comigo para o que precisar!

      Excluir
  6. Olá, acabo de ver o seu desabafo depois da enchente...
    Pensei que iria encontrar fotos de você morando na casa... mas é assim mesmo... também parei a minha obra por um ano, essa semana recomecei... depois das chuvas intensas de janeiro em Londrina, que arrasou a região da casa... tudo inteiro também.

    Vou acompanhando.
    Abraços.
    Maria José

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria, a luta continua...rs No final das contas, está demorando mas foi a decisão acertada, isso ameniza um pouco a aflição. Mas é uma batalha diária se manter motivado. Espero em breve ter mais capítulos positivos para partilhar. Obrigado!

      Excluir