terça-feira, 5 de novembro de 2013

Desventuras com Tijolo Ecológico e a Falta de Honestidade

A Fragilidade Do Paradigma da Construção com Tijolo Ecológico


Uma grande preocupação quando comecei a me inteirar sobre o assunto, foi encontrar mão-de-obra qualificada e acima de tudo honesta. Qualificada porque construir com tijolo solo-cimento (ecológico) requer conhecimento sobre alvenaria estrutural, sobre aspectos e exigências do tijolo em questão e extremo cuidado e zelo pela aparência, por se tratar de alvenaria de tijolo a vista, ou seja, não haverá o reboco para esconder eventuais falhas. A honestidade entra em campo para tornar a contratação interessante para os dois lados, com ciência plena de todas as dificuldades, características e implicações do projeto, além da responsabilidade a ser honrada pelo executor sobre tudo que for feito.

Meu maior medo era que minha casa apresentasse problemas que me tirassem a satisfação de ter me empenhado a construir um projeto personalizado. Sem falar no medo de ter prejuízos e retrabalhos. Vi pessoalmente obras cujo resultado era exatamente aquilo que eu não queria ter. Senti o desgosto no lugar dos proprietários e obtive histórico de várias obras fracassadas ou com resultados insatisfatórios. O medo aumentava a medida que descobria que até quem é do ramo, como por exemplo arquitetos, acabam tendo problemas com mão-de-obra e tinham o resultado de sua construção diferente do esperado.

Nessas pesquisas descobri o fator comum entre esses fracassos: a incompetência do construtor. Se essa possibilidade pode existir (e frequentemente existe) no paradigma de construção convencional, quando se trata de alvenaria estrutural e tijolo solo-cimento (ecológico), as implicações de um serviço mal feito são muito maiores. Há questões importantíssimas de segurança, durabilidade, usabilidade/manutenção e claro, o aspecto visual que acaba escancarando os problemas todos das fases anteriores.

Os principais problemas que notei foram: falta de nivelamento das fiadas, falta de esquadro e prumo, problemas de modulação e intersecção de alvenarias, descuido com a distribuição das fendas entre os tijolos, inobservância do correto dimensionamento dos grouts e descuido com a aparência, no que se refere a cimento escorrido, tijolos quebrados, etc. Para quem é detalhista como eu, um erro desses atormenta toda vivência na casa, mas o grande problema é: a casa é segura para se morar nela?

É justamente esse tipo de resultado que afasta as pessoas da construção usando tijolo solo-cimento e continua a propagar os preconceitos, medos e desconfianças sobre o tijolo. Resultados assim servem de base para quem vive a criticar o paradigma e de fato, enche de argumentos as pessoas que não confiam nesse método. Não tiro-lhes a razão, se eles conhecem uma obra que não teve sucesso, isso já virou um conceito formado diante de um fato concreto.

O grande ponto de tudo isso é a falta de honestidade do construtor em mostrar suas fragilidades, ser sincero quanto a sua capacidade e a falta de responsabilidade em assumir erros. Infelizmente isso passa por valores pessoais que são raros hoje em dia, especialmente quando envolve dinheiro.

Meu intuito com esse post é alertá-los que existem muitos profissionais (se é que podemos chamá-los assim) que podem transformar o sonho de construir sua casa, no pesadelo de sua vida. Se a construção já não é tarefa fácil diante de um cenário perfeito e de sucesso, imagina quando os problemas são recorrentes. Para ilustrar isso, gostaria de trazer a tona o resultado da sra. Cátia Barbosa de Búzios/RJ, que está tendo várias dificuldades após a contratação de um construtor incapaz de concluir a construção com qualidade e segurança. Na ânsia de divulgar sua situação e alertar demais interessados sobre a importância de um bom profissional (bem como as consequências de um mal profissional), ela criou o blog (desativado) que ilustrará os defeitos que ela encontrou durante o processo construtivo.

Muita coragem e desprendimento dela em expor o ocorrido. Claro que não é uma situação confortável divulgar detalhes do fracasso de nossos sonhos, mas o desejo de evitar que outras pessoas cometam o mesmo erro é uma atitude louvável. Quero parabenizar a Cátia pela atitude, pois isso só fortalece o paradigma da construção com tijolo solo-cimento (ecológico), uma vez que acrescenta ao mundo de informações sobre o tema, também resultados de insucesso e pontos de atenção. É por esse tipo de situação e para evitar que isso seja recorrente, que iniciei esse blog e agora com esse exemplo da Cátia, essa ideia ganha ainda mais força.

Fica aqui registrado meu repúdio a esse tipo de profissional e o desejo de que pouco a pouco, esse trabalho signifique o fim de profissionais como esse, que não honram seus nomes e perdem seus valores como pessoas.

<O blog foi desativado e outra página entrou no local>





74 comentários:

  1. Estamos loucos com o rejunte,meu esposo ficou 1 dia inteiro conseguiu fazer 1/2 parede.Não sei quando isto terá fim...Chamei uns 'pedreiros ajudantes ' e eles recusaram o trabalho ,pode isso???? Fazemos nós mesmos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Cátia, essa é uma etapa que não rende mesmo. Estão fazendo com bisnaga ou com régua? Chegou a impermeabilizar as paredes antes?
      Eu ainda vou passar por isso, já deveria ter feito, mas com paralisação da obra, essa será a etapa na qual reiniciaremos o acabamento.

      Excluir
    2. Olá Wagner, tdo. bem? espero que sim, gostei muito da sua postagem, tenho a intenção de construir com esta técnica e tenho estudado muito a respeito, porém não encontrei ainda qual seria o valor estimado cobrado por pedreiros que saibam trabalhar com este tipo de cimento, vc pode me dizer mais ou menos quanto eles cobram o metro quadrado? obrigada pela atenção!

      Excluir
    3. Obs. estou colocando anonimo porque não sei selecionar outra forma, kkk meu nome é Rose Sucigan. bom dia!

      Excluir
    4. Olá Rose, boa tarde.

      Olha, não há um referencial definido. Depende muito do pedreiro, sua experiência, sua localidade e quantidade de obras/demanda que ele tem. Acredito que um bom referencial para mão de obra, construção completa (alvenaria, telhado, impermeabilização, rejunte, acabamento, etc), "chave na mão" seria R$ 450,00 o m².

      Obrigado!

      Excluir
    5. O Sr. Luis Fernando Monteiro de Salto , SP me cobrou R$ 850,00 o m2, HOJE , aqui na cidade do Rio de Janeiro , ja contanto com a hospedagem e alimentacao dos peões ; so de mao de obra . seriam ate 4 profissionais na obra e 1 ano de construção.
      Ele disse que nao faz a pintura interna. A pintura externa, se quiser pintar a casa por fora, nao esta no preco. Se quiser rebocar alguma parede por fora tem que ser tb combinado outro preco. Nao faz pintura de gesso sobre paredes internas. Todas as instalações ele faz, agua fria, quente, esgoto.... Não mencionou sobre Gás, Solar, Bombeiro e Para Raio.
      Ele indica 2 fabrica de solocimento em Limeira , Sp que a unidade do tijolo sai a R$ 1,15 mais frete para o Rio .
      Da para ter uma ideia o quanto gastar. Eu irei deixar algumas paredes pintadas outras emassadas com gesso, tanto dentro quanto fora. Estimo que gaste , realisticamente , com materiais de alto padrão entre R$ 2000 e R$ 2500 o m2.

      Excluir
  2. Cara excelente blog, comecei a lê-lo hoje e estou pegando varias dicas, mesmo depois de estudar por quase 1 mes estes tijolos e metodos, videos, fabricas, etc. aqui tem mais informações que os proprios fabricantes. Creio que aqui na Zona Oeste de São Paulo (Cotia) vai ser dificil achar profissionais realmente profissionais, então vou praticamente fazer eu mesmo com ajuda de pessoas da area e informações como estas aqui !

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wellington, pergunte o que quiser, não sou um profissional do assunto, mas procurei me informar tal como você está fazendo e podemos trocar experiências agora que já construí a casa toda.
      Quanto a profissionais, a casa antiga que serviu de base para essa reforma/ampliação que mostro aqui, foi construída por profissionais dessa região de SP mesmo, curiosamente.
      De qualquer forma, o principal a ser feito é um projeto bem elaborado e consistente. Invista nisso, contrate algum engenheiro que conhece realmente alvenaria estrutural e as características desse tijolo, pois o projeto terá melhor qualidade e aproveitará melhor os benefícios que o tijolo solo-cimento apresenta.

      Com um bom projeto, dedicação e força de vontade, acredito que seja possível construir você mesmo sua casa. Só é necessário zelar pela segurança e confiabilidade de tudo que for feito.

      Boa sorte e conte comigo.

      Excluir
  3. Olá,

    Estou pesquisando sobre o assunto e achei sua página, tenho muita vontade de construir com tijolo ecológico, mas tenho receio que algo dê errado. O que pode me ajudar ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fábio.

      Claro, no que for possível, desejo contribuir sim. Acredito que as três principais escolhas que farão a diferença entre o sucesso e o fracasso estão relacionadas entre si: especialização e competência. Você precisará de um arquiteto/engenheiro/projetista competente em elaborar o projeto considerando as especificidades e detalhes do tijolo solo-cimento; mais ainda de uma equipe com mão de obra capaz de executar esse projeto a risca, que possuam experiência nesse tipo de obra (imprescindível isso) e também de um fornecedor de tijolos que os produza com qualidade, dentro da norma ABNT. Com isso, você tem 80% do caminho para sucesso trilhado. Certifique-se que conseguirá os contatos desses personagens importantes para sua obra, antes de começar. Daí você vai tirar uma ideia se tudo isso é viável ou não para sua necessidade. No que precisar, pode me escrever e postar suas dúvidas.

      Obrigado.

      Excluir
  4. Ficou nos cantos da parede muito cimento grudado nos tijolos alguem tem alguma ideia de como disfarçar tudo isso? Por favor?????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vânia.

      Os tijolos todos foram assentados na massa/cimento? Será difícil remover esse cimento dos tijolos, você pode tentar raspar, mas isso pode danificar os tijolos. Use uma espátula. Talvez você possa usar o rejunte depois para reparar alguns danos ou até mesmo a terra do tijolo junto com cola PVA para fazer preenchimentos onde houver danos ao tijolo.

      Considere passar a resina acrílica em tudo o mais breve possível para evitar esse tipo de problema.

      Excluir
  5. Wagner o que eu vejo é que de forma geral para a sociedade é mais fácil criticar, desmerecer, etc, etc do que realmente falar a verdade e mostrar sua real ignorancia sobre tal assunto.
    As pessoas têm medo da quebra de paradigma! se sempre fiz assim porque mudar? Dai é mais fácil neste caso falar mal do produto, dizer que não funciona e assim vai. Todos os sitemas construtivos tem pontos positivos e negativos, precisamos entender qual deles vão nos proporcionar o melhor produto final.
    O que as pessoas precisam entender que a construção com solo cimento não é para amadores, precisa de muito planejamento antes para posterior execução, e quando você apresenta isso aos pedreiros eles querem o mais fácil (é como falo para meus amigos depois tira na massa) e o proprietario que se dane.
    Foi muito boa a sua explanação do assunto. PARABÉNS mais uma VEZ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Almir, vejo da mesma forma que você. Dizer que não possui determinado conhecimento, não é sinal de ignorância, pelo contrário. É o que poucos praticam. Hoje vejo que a maioria dos construtores que começam a usar tijolo solo-cimento, simplesmente deixa de trabalhar com alvenaria convencional, dada a praticidade e o retorno que lhes é conferido. A maior parte das pessoas que constrói com esse tijolo tem bom poder aquisitivo, é um mercado em franca expansão, com raros profissionais, ou seja, se eu sou um pedreiro, esse é um oasis no deserto a ser explorado, vale muito a pena investir em conhecimento e capacitação para poder explorar esse filão. Construir com tijolo baiano existem inúmeros que fazem e a concorrência é grande. Agora ser um construtor reconhecido em alvenaria estrutural, tijolo solo-cimento, se o camarada se apresentar aqui e tiver um bom portfólio, tenho absoluta certeza, vai rachar de ganhar dinheiro!

      Excluir
  6. Caro Wagner, tudo bem?
    Estamos prestes a construir a nossa residência, mas como não temos disponível todo o investimento que é necessário para isso. Encontramos no tijolo ecológico uma esperança...Achamos esse post muito esclarecedor, mas ainda estamos em um impasse, por isso gostaríamos muito de conversar contigo um pouco mais, já que pesquisou bastante. Se puder nos responder com cópia para o email delenimesquita@yahoo.com.br podemos trocar telefones e se possível você nos ajudaria muito.
    Obrigado,
    Delení

    ResponderExcluir
  7. Wagner, Boa Tarde.
    Sou apenas um mecânico projetista de máquinas que está projetando um sistema automatizado, completo para fabricação em grande escala de tijolos ecológicos e por esse motivo tenho pesquisado muito benefícios e problemas desse sistema construtivo.
    No meu trabalho utilizo equipamento topográfico para geometria (alinhamento e nivelamento) em máquinas industriais, e enxergando a necessidade de melhoria no sistema construtivo convencional, comecei meu projeto onde pretendo implantar esse auxilio aos consumidores de meu futuro produto, garantindo nível e esquadro correto dos cômodos.
    Os maiores problemas que enxerguei na construção civil foi a falta de padronização nos tijolos feitos por uma unica fabricante, algo que pretendo corrigir.
    Um problema que enfrento com minha atual residencia é o solo frágil, quando construí a 20 anos atrás, não imaginei que depois desses anos encontraria trincas, por falta de um estudo de solo ideal, onde devia ser previsto estacas para encontrar um solo resistente a construção.
    Penso que a falta de mão de obra qualificada aos poucos diminua, pois em meu projeto com meus contatos no SENAI, pretendo oferecer cursos gratuitos a consumidores e pedreiros que queiram se inteirar dessa nova e inovadora técnica.
    Entendo que não podemos esperar, temos sim que correr atras de nossas necessidades.

    ResponderExcluir
  8. Bom Dia Wagner.
    sou um projetista de máquinas e tenho como projeto a fabricação desses tijolos ecológicos e com isso pesquisei muito sobre.
    porem projetei equipamentos para prensa desses tijolos e por estar em minha área de atuação, alinhamento e nivelamento topográfico em máquinas e equipamentos, penso em utilizar desse recurso no auxilio ao inicio das construções do produto por mim oferecido. entendo também que algo muito importante para qualidade desses tijolos seja a padronização, tempo de cura, total controle sobre isso, com isso garantia de qualidade minima exigida nos padrões ABNT.
    Tenho um bom relacionamento com o SENAI com isso pretendo criar curso gratuito para consumidores e pedreiros, os tornando qualificados para essas construções.
    Alem de pesquisar os benefícios, pesquiso também os problemas para tentar minimiza-los ao máximo.
    poderei auxiliar na parte de geometria e alinhamento topográfico também ajudando nos projetos em cad caso seja do interesse de alguém. esse tipo de auxilio, os digo, não é gasto, é investimento.
    um abraço,
    Antonio Donizeti (Americana-SP)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taí uma coisa nova e de grande potencial! Parabéns, espero que dê certo e que possamos contar com esse serviço em breve.

      Excluir
  9. Sou Pedreiro Ecologico há anos, quero somar al desenvolvimento do sistema modular en solo/cimento...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me mande seus contatos depois, veja se tem interesse em ser divulgado aqui no Blog como indicação de mão de obra. Abraço!

      Excluir
  10. olá pessoal, tenho duvida quanto a passagem de esgoto de um pavimento para outro pois não encontrei nenhum video que mostre a utilização de rede de esgoto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Manoel. Acredito que nesse caso a tubulação deva "correr" pelo pavimento superior e descer em uma parede do piso debaixo. O limitante aí será o tamanho do furo do tijolo, acredito que esse meu não seja possível descer com tubulação maior do que 50 mm.

      Excluir
    2. ola no caso da tubulução correr no pavimento superior poderia ser feito coluna para passar os canos com a medida necessária para o esgoto

      Excluir
    3. Isso, boa dica. Só não faça uma coluna estrutural, ou seja, ela não deve servir de apoio da alvenaria e nesse caso pode ser feito sem grouts se quiser facilitar uma possível a manutenção.

      Excluir
  11. Alguem poderia indicar um bom curso nessa área oferecido pelo senai sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço bem nenhum curso, mas te recomendo assistir esses vídeos desse fabricante de equipamentos, pois tem todos os passos: http://www.alroma.com.br/videos

      Excluir
  12. pessoal ,boa noite, ainda não fiz minha obra ,mas com certeza irei fazer 2 casas,tem 1 video no you tube que ensina a fazer passo a passo do 1 capitulo até 21 capitulo,o que diferencia esta obra das outras obras é a limpeza,silêncio, menos pessoas possiveis ,paciêcia ,paz e muita vontade de fazer bem feito.São 2 obras distintas(no meu caso)uma que começará no chão e a outra que começará na laje.LAJE-para começar tem que contratar um pedreiro profissional,este pedreiro terá que assentar os tijolos no nivel,no esquadro e de preferência colocar fitas no tijolos digo nos de base,para depois colocar o contra piso e o piso ,um amigo inventou uns pés de galinha nos cantos da obra que evita que nós pessoas inesperiêntes tirem o prumo de resto sua esposa e vocês levantam a casa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anselmo, bom dia.

      Sem dúvida é simples e prático construir com tijolo solo-cimento. A primeira fiada é a mais desafiadora pela questão de nível, prumo e esquadro. Tudo isso, embora simples de ser evidenciado, precisa ser feito por alguém que realmente tenha esse comprometimento. Nada impede que você mesmo faça essa primeira fiada, usando as ferramentas básicas da construção que são simples de usar.

      Veja que após as fiadas posteriores, continua havendo necessidade de se certificar desses itens e envolve mão de obra característica de pedreiro/construtor, pois precisa encher os grouts com concreto, amarrar as ferragens nas cintas e grouts, fazer recortes e inserções no tijolo para poder sair com tubulações, etc.

      Com paciência e força de vontade como você disse, qualquer um minimamente capaz consegue fazer uma casa segura sem grandes dificuldades. Recomendo apenas que invista tempo e conhecimento em um projeto bem pensado, levando em consideração as necessidades estruturais e também prevendo toda hidráulica e elétrica. Isso sem dúvida é o grande viabilizador da construção.

      Boa sorte!

      Excluir
  13. Anselmo ,
    Existe algum curso para trabalhar na construção com tijolo ecologico , qual a maior dificuldade e quais problemas que pode ocorrer na construção. Grato

    ResponderExcluir
  14. mesmo se vc estude tudo sbre isso,se vc nunca trabalho com obra,com massa cimento e etc ,vai ter alguns probleminhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, precisa saber trabalhar com ferragem, fazer amarrações, virar massa, trabalhar com prumo, nível e esquadro, não é um serviço qualquer. A questão toda é que de um bom serviço e um bom projeto, dependem a segurança das pessoas que utilizarem a construção, então precisa ser feito por mão de obra qualificada.

      Nada impede que qualquer um se qualifique, também.

      Excluir
  15. Moro em São Paulo pode indicar seu engenheiro e as pessoas que trabalharam com vc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Evelyn, o pessoal que trabalhou para mim como pedreiros são aqui do interior, acredito que não fazem serviço em São Paulo. Quer o contato assim mesmo?

      Excluir
  16. Moro em Limeira interior de sp alguém tem mao se obra qualificada para indicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega, infelizmente não saberia indicar ninguém na sua cidade.

      Excluir
  17. Olá, meu nome é Mauriti de Ramos, trabalho com tijolos ecológicos desde 1999, são 16 anos de experiência, sendo os dois primeiros anos como fabricante na cidade de Suzano-SP, como construtor/empreiteiro, tenho algumas obras em alguns municípios de São Paulo (Suzano, Bertioga, Taubaté, Itapevi, Ibiúna, Pariquera-Açú, etc..) Sul de Minas (Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí e Piranguinho), além de ter ministrado cursos para a prefeitura de Jacareí-SP e fora do Brasil, em Caracas/Venezuela.
    Tenho mão de obra especializada no sistema construtivo, e estou à inteira disposição no sentido de tentar colaborar com o blog. Abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mauriti, poderia passar seu contato? O meu é gpolillo@gmail.com

      Excluir
    2. Olá gostaria de saber se voce constroi aqui no interior sp cidade de Cerquilho, poderia entrar em contato comigo? meu email é rosesucigan@hotmail.com.br, obrigada.

      Excluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Me chamo Assis e vou construir a minha casa ecológica a partir de dezembro do ano que vem. Já fiz um pequeno curso sobre a técnica de solo cimento e estou aqui para aprender mais com vcs e compartilhar o pouco que sei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem-vindo e fique a vontade. A casa é sua...rs

      Excluir
  20. Olá pessoal, sou Técnico em edificações e projetistas, trabalho com projetos a mais de 8 anos e com obra a 10. estou estudando sobre os tijolos ecológicos a 2 anos, e o que tenho percebido é que o maior problema é a falta de planejamento pra fazer tal obra, a falta de projeto e também a mão de obra qualificada, porém a mão de obra qualificada esta difícil de encontrar para trabalhar com qualquer tipo de tijolo. O que vejo de vantajoso no tijolo ecológico é a praticidade, a economia que quero descobrir se é tão vantajosa assim, e que se for feito uma casa com o mesmo, qualquer um pode fiscalizar por que há vários artigos e vídeos explicando como deve ser feito. eu por enquanto estou achando muito interessante o método...
    Wagner e demais amigos, gostaria de tirar algumas dúvidas, se puderem me ajudar serei grato.
    realmente tem um lucro tão satisfatório assim...?
    estou pensando em compra a prensa manual pra a fabricação do mesmo o que acham, vale a pena...?
    tenho profissionais bastante competentes para tal serviço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Robson,

      Boa tarde. Cara, economia é o fator polêmico. Virou marca registrada do tijolo (ou querem que seja), mas entendo que não é tão simples e direto assim. Vai depender muito do projeto!

      É fato que esse método gera bem menos descarte, retrabalho, demolições e oferece a condição de um controle maior sobre a quantidade de materiais. Materiais básicos que são difíceis de mensurar na alvenaria convencional, nesse caso são de uso bem mais reduzido, o que acaba se traduzindo em economia ao se evitar desperdício.

      Há também uma notável economia de tempo, isso pode não se traduzir em dinheiro no primeiro momento, mas sabemos que mesmo sendo difícil precificar, tempo é realmente dinheiro no mundo de hoje.

      Outro ponto imprescindível para questão economia é o acabamento. Se você aceitar/desejar ter as paredes com o tijolo a vista, assentar os revestimentos diretamente em cima do tijolo usando argamassa (sem reboco) e considerar o diferencial da leveza da construção no dimensionamento da fundação e ferragens, com certeza economizará frente uma construção convencional.

      Agora, de forma enfática e sem sombra de dúvidas: o que vai assegurar a economia ou não é o projeto bem elaborado e bastante detalhado. Investir no projeto é a única garantia de um andamento adequado da obra, com as metas e objetivos bem atendidos, com o mínimo desperdício e a maximização do alcance dos resultados positivos. Acho que nesse ponto, pouco importa ser um projeto que envolve tijolo solo-cimento. Qualquer obra com um bom projeto, facilita a economia. Em sendo alvenaria estrutural, isso é praticamente o 11º mandamento....rs

      Sobre a prensa, não saberia dizer. Acho válido se você não tem fornecedores para te atender, mas caso tenha considere avaliar quanto tempo gastará até achar a mistura adequada para a liga do tijolo, um solo adequado e uniforme para toda a sua produção e o controle adequado de qualidade do que você vai produzir: em resistência mecânica, absorção de água, padronização de medidas, etc.

      Boa sorte!

      Excluir
  21. Olá, Wagner! Parabéns pelo blog, traz a seriedade que o tema requer. Tenho acompanhado trabalhos com tijolo ecológico há tempos e estou decidida a desenvolver projetos, estou cursando tecnólogo em construção de edifícios para tanto. Um das coisas que sinto falta é da continuidade dos blogs. Principalmente fotos. E isso é essencial para mim, explico. Como estão as construções de 2012, 2013, racharam, ficaram muito úmidas, foi necessário refazer a impermeabilização, pipocaram com os respingos das chuvas, caíram? Qual o estado dos tijolos após alguns anos? Concluíram? Não há muitas pessoas que vivenciaram a construção a ponto de poder avaliar com clareza. Seria muito bom se você pudesse relatar e postar imagens da condição da casa após esse período. Agradeço desde já! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ceci, obrigado!

      Não tenho postado fotos pois de fato não tenho nenhum grande avanço. A obra continua exatamente igual quando paralizei pós rejunte e outras Obras Acessórias (http://www.tijolosolocimento.com.br/2014/11/obras-acessorias.html). Acredito que esse ano terei avanços para documentar e posso entrar nesse detalhe de como as coisas estão.

      Eu não tive nenhum problema desse tipo, nenhuma rachadura ou patologia do tijolo, estão como os deixei após terem sido resinados. Tenho dois pontos onde, com um problema que tive no telhado em virtude do grande volume de chuvas, estão sofrendo certo esfarelamento/cavitação por causa do impacto da água no chão e depois na parede. Perdi as telhas do beiral e não tenho calha, o que faz com que a água do telhado venha de grande altura, batendo no chão e respigando na parede. Nada muito grave, mas que mostra que alí a resina saiu e essa manutenção é primordial para a conservação do tijolo. Nesses lugares, lixei e resinarei de novo, colocando as calhas e telhas que voaram com uma tempestade.

      Afora isso, outros lugares onde a chuva apenas bate normalmente, sem a força que vir acumulada do telhado e cair de grande altura, tudo se encontra devidamente impermeabilizado e sem danos. O rejunte também está intacto, era um medo meu por usar solo junto com rejunte flexível, mas isso se provou ser a mistura ideal pois dá grande liga e não se solta da parede.

      São mais de 2 anos após a resinagem completa da casa e percebo que nos lugares onde o sol incide com vigor (tenho alvenaria acima do telhado por exemplo), a resina começa a demonstrar sinal de desgaste. Como resinei antes de rejuntar e após o rejunte não houve uma lavagem completa das paredes, percebo que a última demão de resina apresenta essa fadiga. Digo isso porque o tijolo não fica úmido, está de fato impermeabilizado, mas o brilho da resina acrílica já não é o mesmo. Nesses lugares foram 3 demãos, sendo 1 antes do rejunte e duas depois. Nesse lugar precisarei resinar em breve e até já pretendia isso pois almejava 4 demãos no total para ficar mais tempo sem precisar fazer isso novamente.

      Dentro da casa ou em paredes que não sofrem tanto a ação do sol e da chuva (tenho bastante área coberta nas varandas), esses lugares estão muito bem conservados e com a resina com brilho preservado.

      Em suma, o que percebo é: em áreas com bastante exposição, a cada 3 anos pode ser necessário resiná-las novamente, se desejado a manutenção do brilho. Quanto mais demãos tiver aplicado, maior será esse tempo de renovação. Se houver paredes próximas a beirais, onde a água bate com força no solo e nas paredes, convém usar calhas para evitar o esfarelamento da face do tijolo. Resinando por baixo do rejunte previamente, terá um tijolo seco sem absorção de umidade por bastante tempo, tempo superior a 3 anos. Em condições ideais, acredito que esse trabalho de renovação da resinagem atinga o intervalo de 5 anos. Também noto que renovar a resina é um trabalho bem menos ingrato do que as primeiras demãos, pois mesmo apresentando sinais de perda do brilho, ao aplicar uma nova demão o brilho retorna muito mais facilmente do que quando se começa o trabalho.

      Em breve, quando retomar as obras, faço um post relativo a manutenção e entro nesse detalhe com fotos e exemplos de tudo isso. Até agora acredito que a casa se mantém muito bem e similar a uma alvenaria convencional que acaba tendo que ser repintada, por questão estética, a cada 3 à 5 anos também.

      Obrigado e conte comigo para o que precisar!

      Excluir
  22. Olá. Me chamo Mario e moro em Leme/SP, região de Limeira. Pretendo construir e me interessei pelo tijolo ecológico. Gostaria de saber se vc. tem algum conhecimento de construtora nessa região que faça nesse tipo de tijolo. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, boa tarde. Infelizmente não saberia indicar construtoras de sua região. Obrigado.

      Excluir
  23. boa noite
    tenho uma prensa e faço tijolos quero participar das experiencias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vcs tem como conseguir plantas de casas?

      Excluir
    2. vcs tem como conseguir plantas de casas?

      Excluir
  24. boa noite
    tenho uma prensa e faço tijolos quero participar das experiencias

    ResponderExcluir
  25. Boa noite Wagner e pessoal.

    Meu nome é Ezequias, sou pedreiro e técnico em Meio Ambiente, moro no Vale do Aço, MG,(Ipatinga), mas tenho um terreno em Mogi das Cruzes , Sao Paulo,onde estou prestes a a construir umas casas geminadas.
    Pesquiso o assunto a anos e cheguei a algumas conclusões, e tbm ainda tenho algumas duvidas.
    Existe uma (ou mais tipos) de terra propicia para produzir o eco tijolo?
    Haja vista que testei alguns tipos, ora agreguei areia , ora pó de pedra , em proporções diferentes, e os resultados foram satisfatórios.
    Posso continuar com isso ou tenho que usar apenas algum tipo específico de solo?
    Em alguns casos usei um pqno percentual de cal hidratada para ação anti mofo. Alguem ai condena isso? Se sim, pq? Foram bons os resultados.

    Obs: agreguei areia ou pó de pedra em terras com liga, desprovidas de grânulos(areia), previamente destorroadas.
    Molho a terra antes de peneira-la, misturo com cimento na "betoneira" e dá muito certo.
    Os resultados obtidos nos testes ficaram entre 4,4 e 6 MPas.
    Quaisquer dúvidas ou sugestões , estou à disposição.

    Aquele abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ezequias,

      Bom dia. Não conheço bem o processo de fabricação dos tijolos, o que sei é que é usado um saibro e que a qualidade da terra é que vai definir o quanto de cimento vai ser usado. Em escala de produção para venda, isso acaba sendo importante para definir o custo do tijolo e a margem de lucro.

      O ideal seria você tentar o apoio de algum instituto que fabrique os tijolos sem pretensões comerciais, pois aí eles seriam mais abertos a discussão dos resultados. Ou ainda entrar em contato com os fabricantes de maquinário, tipo a Alroma, pois eles podem ter alguma consultoria interessante.

      Obrigado!

      Excluir
  26. Desde q a casa seja construida por um excelente profissional, nao terei problemas com rachaduras? ?
    Ou quaisquer outros problemas evemtuais? ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wanderson, boa tarde. Nem precisa ser excelente, só fazer o serviço direito. Com um bom projeto, prevendo devidamente os grouts e amarrações, sendo construído observando isso e com um tijolo dentro da norma, não vai ter problemas de rachaduras e nem problemas estruturais.

      Excluir
  27. Olá Wagner.

    Parabéns pelo seu Blog!
    Gostaria de pedir os seus contatos para mão de obra especializada em Campinas.
    Desde já, agradeço.
    Att.
    Michelle
    E@mail: michelle_adm@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  28. Mais pelo levantamento das informações que fiz, esse tijolo é propício a infiltrações,
    Verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wanderson, por esse tijolo não ser cozido, ele é bastante absorvente. Você precisará impermeabilizá-los ou hidrofugá-los ao término da alvenaria.

      O correto é impermeabilizar a massa de assentamento da primeira fiada, para impedir a umidade da fundação e de rodapé atingir os tijolos e depois impermeabilizar toda a parede, seja com resina acrílica como fiz, com silicone ou outros impermeabilizantes. Isso é mandatório!

      Veja o processo de aplicação da resina em: http://www.tijolosolocimento.com.br/2013/11/resinando-e-impermeabilizando-o-tijolo.html

      Excluir
  29. Wagner, excelente blog. estou na pesquisa sobre esses tijolos há 1 ano e começarei a construção ano que vem, mas não encontro com facilidade os tijolos e mão de obra? esquece! Terei que convencer um pedreiro "normal" a fazê-lo, porem uma coisa que ainda não vi e que eles sempre me perguntam é sobre as vigas auxiliares para o segundo pavimento, é feito do mesmo jeito que a construção convencional? estou com medo, pois com toda dificuldade que estou encontrando na minha cidade quanto a esse tijolo, temo não dar certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, boa tarde.

      O dimensionamento dos grouts, a bitola do vergalhão que será usado e o espaçamento dentro da alvenaria é que vai dar o suporte de carga necessário para multi-pavimentos. Entendo que um engenheiro calculista poderá dar isso sem muita dificuldade, dimensionando essa quantidade de grouts, quantidade de cintas de amarração e as devidas bitolas.

      Não há problemas ou limitações para fazer dois pavimentos.

      Obrigado!

      Excluir
  30. Boa noite Wagner. Parabéns pelo seu Blog. Muito útil e responsável. Meu nome é Renato e sou do RJ. Tenho um Terreno na Região dos Lagos e pretendo construir uma Residência de 2 Pavimentos e uma Edícula nos Fundos. Achei muito interessante o uso de Solo-cimento. Também pensei em comprar a Prensa e produzi-los. Gostaria de saber o que você acha de mesclar o projeto estrutural em Solo-cimento com estrutura metálica, vigas de ferro U. Ou seja, só usaria o Solo-cimento para paredes retas e faria toda a amarração e estrutura para o segundo pavimento em metal. O que acha ? é possível ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato, boa tarde.

      Fiquei curioso como seriam essas vigas de ferro. Não entendi bem a mescla entre eles. Você usaria o perfil U no lugar dos vergalhões?

      Tenho visto bastante steel frame e realmente, é bem interessante. Tenho curiosidade de ver de perto uma obra dessas.

      Abraço!

      Excluir
  31. Alô moro no Rio de Janeiro. Sou pedreiro comum, quero fazer eu mesmo seria possível, existe algum curso para me especializar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá colega, boa tarde. Não saberia dizer onde encontrar capacitação, mas recomendo a leitura de materiais nos sites de fornecedores (vide menu Links Úteis - http://www.tijolosolocimento.com.br/p/links-uteis.html) que possuam cartilhas, vídeos e referências ao método construtivo.

      Na minha humilde opinião, se você possui vontade e determinação, já tem o necessário para aprender a construir usando o tijolo solocimento. Te recomendo ir atrás de conhecimento sobre alvenaria estrutural, algo que antecede a questão do tijolo solocimento e dará base para entender como funciona qualquer método construtivo estrutural. Feito isso, se especializar nas exigências do tijolo, que não são muitas.

      Uma coisa eu posso te falar: ter esse conhecimento vai te alçar a um patamar diferente dos seus colegas e te abrir portas para vários projetos. Invista!

      Abraço e boa sorte.

      Excluir
  32. Wagner, desejo construir minha casa utilizando tijolos ecologicos. Fiquei muito interessado neste tipo de construção. Gostaria de conversar com você algumas dúvidas que tenho, pode ser? Segue meu e-mail: chicobg@gmail.com
    Fico no aguardo. Obrigado!

    ResponderExcluir
  33. Olá! Boa tarde! Moro em São Paulo Capital, almejo construir casas com tijolo ecológico e gostaria de saber se há alguma obra acontecendo na minha cidade para que posso visitar, acompanhar a execução, tirar dúvidas... Alguém pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  34. Ao clicar naquele limk mencionado no texto. Não achei o artigo que ela mostra os problemas encontrados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que saiu do ar o blog, tem até outro site no lugar.

      Excluir
  35. Ola, acompanho esse blog e cerca de 3 anos, FIZ MINHA CASA DE TIJOLO ECOLOGICO E PODE DIZER É, foi a pior coisa que fiz na minha vida, nao indico a ninguem,


    Profissional

    Nunca vi um tipo de profissional desse na minha vida, que por sinal Wagner ele já fez alguns serviços para você, é o pai e os 2 filhos incompetentes e péssimos profissionais, Primeiro foi o pedreiro que se dizia especialista, que no caso foi indicado pelo Edilson da Tijokez, parede torta, feche o olho e aponte para qualquer lugar da casa que voce vai encontrar uma, trincas, a cada dia encontro uma nova, é muito dificil achar alguem confiavel que trabalha com este tijolo, muito sensivel os tijolos, pegue dois tijolo e bata um no outro de leve e veja o que acontece, parece torram de areia na mão.

    Economia?

    Mentira, nao existe economia alguma nesse tipo de obra a nao ser que você nao reboque nada e rejunte com barro, mas mesmo assim a economia não é viavel.

    Umidade?

    Chupa agua a rodo.

    Aconselho fazer?

    NÃO, pedreiro pra achar um que presta já dificil com construção comvencional, imagina com tijolo ecologico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, fiquei sabendo do seu caso e lamento o ocorrido. Muito me surpreende os problemas que teve com essa equipe pois embora não tenha construído a casa com eles, já tinha visto trabalhos deles que ficaram bons. Não sei o que pode ter acontecido, mas risquei-os da minha lista também.

      Realmente a mão de obra é o ponto delicado da obra. Embora não seja complexo, precisa ser caprichoso, especialmente se for deixar a parede exposta, tijolo a vista. Pedreiro não sabe respeitar isso, parece que sempre parte do pressuposto que se vai rebocar, aí não mantém o devido cuidado com limpeza, com prumo e nível.

      No meu caso, posso dizer que dei sorte porque o pedreiro não era especialista e ainda sim obtive bons resultados. Dentre uma série de casas que vi por aí, acabo percebendo que a minha foi bem construída.

      Sobre a economia é o que eu sempre digo, não é garantido que anote economia, depende de vários fatores. No meu caso sim, obtive um valor de m² construído bastante baixo se comparado com outros métodos, mas são vários os fatores que me levaram à isso.

      Sobre umidade, precisa ser impermeabilizado corretamente, com resina acrílica ou silicone. Estou usando resina e apesar do alto gasto, tenho tido bons resultados.

      É uma decisão complica e que precisa ser bem pensada, planejada, senão dá errado.

      Gostaria de conversar contigo pessoalmente se quiser, para entender tudo que aconteceu e tentar ajudar no que for possível.

      Obrigado!

      Excluir
  36. criei o blog falando um pouco do meu prejuizo de 300 mil reais, http://tijoloecologicoregiaocampinas.blogspot.com.br/2016/10/construir-com-tijolo-ecologico-repense.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, nobre sua atitude, porém acredito que carece de contexto, argumentos, detalhes e uma construção melhor da mensagem que deseja passar. Ilustrar os problemas no detalhe, as decisões que levaram até os problemas, as eventuais soluções que buscou e tudo aquilo que se constitui em fatos da sua obra, ajuda a passar melhor a mensagem que deseja passar.

      O tijolo está longe de ser uma unanimidade, mas há muito pouco conteúdo que mostre desvantagens, problemas, defeitos, dificuldades, etc. Por isso, se pretende ter esse papel, precisa investir melhor no conteúdo do blog.

      É meu ponto de vista, abraço.

      Excluir