quarta-feira, 15 de abril de 2015

2 Anos Depois

O Que Temos?


O tempo passou rápido, 2 anos voaram e cá estamos nós praticamente parados no tempo. Muita coisa foi feita, muito avanço alcançado, mas ainda não alcançamos a meta final e isso é um grande desconforto.

No dia 12/04/2013 iniciávamos a obra com demolição, compactação de terra, preparação para a fundação. Eram dias magníficos com avanços constantes, onde a coisa evoluía rapidamente. Hoje o cenário é completamente diferente. Passam dias e dias sem que nada mude, apenas a paisagem de forma natural, sem nenhum progresso na obra.

E o que falta? Faltam muitas coisas, todas de acabamento: revestimentos, fechamentos (portas e janelas), louças, pedras, metais, gesso e elétrica. Obras que somadas, possuem custo que ultrapassa 1/3 de tudo que foi gasto até agora. Além disso, são síncronas ou até simultâneas: precisam ser executadas em conjunto. Isso dificulta e implica na questão financeira, pois o investimento deve ser feito em massa, em grandes volumes de uma vez só.

Diante disso paramos...Colocamos o pé do freio a primeira vez em 10/2013 com o término da construção bruta. Retomamos em meados de 2014 com o rejunte e paralisamos novamente com a conclusão desse passo. No mês 10/2014 voltamos a realizar tarefas de alvenaria que eram obras acessórias, finalizando antes do fim do ano. Depois disso nada foi feito. Sempre têm tarefas de manutenção que eu mesmo executo, limpeza e manutenção do terreno, alguma resina aplicada nas paredes (algo que não finaliza nunca), etc. Mas grandes avanços, nenhum!

A sensação de estar tão perto e tão longe ao mesmo tempo é angustiante e até que consigamos terminar nossa casa, todo investimento que foi feito até aqui não se torna proveitoso. Certamente ele será, mas até lá precisamos arregaçar as mangas, trabalhar e obter o que falta para que nosso sonho se concretize: dinheiro!


Uma das manutenções mais frequentes: roçar!

Avante!




22 comentários:

  1. Realmente as etapas finais da obra dão esta sensação de que não há avanços. Um risco associado em obras é a questão dos investimentos em cada etapa da obra. Com frequência vemos clientes que gastam um pouco mais em cada item no início da obra e no final, ficam sem recursos para fazer os 10%, 20% finais. Aquela troca de um piso colocado no orçamento inicial como sendo de R$ 12,90 o m2 por um que custe R$ 18,50 o m2, a caixa d'água de 1000l em vez da de 500l e assim por diante, acabam por muitas vezes estourando o orçamento lá no final. Já escutei muitas vezes "Quero a casa mais simples possível", mas na hora de realizar o sonho de construir a casa e lá na linha de frente com o vendedor da loja de construção, ocorrem estas trocas que acabam estourando os orçamentos lá no final. Não me parece ser este o caso do post acima, mas acho que a dica é válida. Mais tempo na preparação do projeto, orçamento, ver se encaixa na realidade do comprador e, a partir daí, seguir à risca o orçamento e memorial descritivo, para não ter riscos de ficar com a obra inacabada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, é frequente isso e aceitável. Quando se trata do sonho das pessoas, elas sempre acham que podem fazer melhor e realmente o fazem. Só que precisa ter visão a longo prazo para compreender que determinadas concessões resultarão em mais sacrifício ou algumas renúncias mais pra frente.

      No meu caso tudo corre como esperado, tristemente esperado. Eu já sabia que não teria fôlego para tudo, fui muito mais longe do que esperava, mas agora fica aquele dissabor de estar tão perto do objetivo final e ter tanta dificuldade de conseguir alcança-lo.

      Construir não é só ter dinheiro, disposição, projeto, mão de obra, etc. Construir é um exercício intenso de gestão de projetos, onde se precisa estar sempre atento ao planejamento (e frequentemente recalcular a rota), compreender os passos executivos e acompanhá-los de perto, prover o investimento necessário e principalmente, aprender a lidar com o insucesso que algumas etapas podem ocasionar. Entender que isso não é o fim e sim o caminho para o real objetivo do projeto, é parte desse entendimento.

      Em frente!

      Excluir
  2. Wagner, primeiro parabéns pela conquista da casa, depois por que você escreve super bem!! Conheci seu site a pouco e li pelo menos metade dos posts.

    Estou construindo também, mas como não consegui achar mão de obra por um custo aceitável para construir com tijolos de solo cimento, optei pela alvenaria tradicional mesmo.

    Além de agradecê-lo por seu compartilhamento, queria te sugerir uma ideia para que possa levantar "dinheiro" para continuar teu sonho da casa própria.

    Transforme o conteúdo do site em um E-book. Onde você pode aprofundar um pouco mais determinados tópicos da construção, colocar mais fotos, fazer mais análises. Pode incluir planilhas que utilizou para calcular as etapas. Montar tabelas comparativas dos métodos de construção X o solo cimento. Seu post sobre as desvantagens foi muito bom, poderia ter mais detalhes até.

    Como você não tem o viés de quem é da indústria, sua mensagem e história é muito boa e verdadeira. Mesmo o conteúdo estando todo aberto aqui no site, particularmente, pagaria R$29,00 por um e-book com tudo organizado sobre o mesmo conteúdo e também para te ajudar a avançar na obra. Pense nisso!

    Você pode vender o e-book para os visitantes do site aqui. E também em outros lugares.

    Caso queira trocar mais ideias a respeito, fique a vontade para me contatar. Como você ajudou a tanta gente com informações deste método de construção, acho justo ajudá-lo a continuar seu sonho!!!

    Abraços e Sucesso
    Alexandre Viveiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alexandre, boa tarde!

      Obrigado triplamente! Se você está construindo sabe exatamente como eu me sinto com relação a esse projeto. Agradeço o elogio, a dedicação para escrever nesse caso acaba sendo uma maneira de extravasar as aflições e ajuda com a ansiedade que tudo isso gera.

      Agradeço sua iniciativa, essas coisas e surpresas é que fazem valer qualquer esforço que emprego nesse blog. Gostaria sim de conversar, por favor me mande um e-mail para ficar mais fácil: solocimentocps@gmail.com

      Obrigado.

      Excluir
  3. Wagner, antes de qualquer coisa quero parabenizá-lo pelo excelente trabalho, tanto na casa quanto nas suas postagens, já li praticamente tudo o que você escreveu e tem me ajudado bastante quanto as dúvidas que tenho.

    Estou querendo utilizar esse material na construção da minha casa, mas tenho duas pequenas dúvidas.
    A primeira é quanto a laje, é possível fazer uma laje com beirais, ou seja, passando da linha das paredes? imagino eu que se fizer isso os furos serão fechados, ou estou errado? Pergunto isso porque não pretendo fazer telhado.

    A segunda dúvida é quanto aos armários suspensos na parede, os tijolos aguentam o peso sem problemas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fox, obrigado! Espero que tenha bom proveito disso tudo.

      Não vejo problemas em fazer a laje em balanço, há esse inconveniente de tapar a ventilação dos tijolos, mas isso só te fará deixar de ganhar e não perder. Você perderá um pouco dessa qualidade do tijolo de manter o ambiente com maior conforto térmico (acredite faz diferença), mas não chega a ser um grande problema.

      Para chumbar as coisas na parede, convém utilizar a bucha entre os tijolos, nunca na parte vazada. Se precisar suportar uma carga maior, use parabolts/chumbadores mecânicos. O tijolo tendo boa resistência, não terá problema.

      Boa sorte!

      Excluir
  4. Parabéns pela humildade e pelo tempo dedicado em compartilhar essas ricas informações Wagner! Sucesso na sua empreitada!

    ResponderExcluir
  5. Ei, Wagner. Como está o andamento da obra?
    Eu tenho uma dúvida sobre a instalação das esquadrias. Você pode me dizer algo a respeito?
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jéssica, bom dia!

      Estamos parados, completamente parados :(

      Diga, qual sua dúvida? Apesar de não ter instalado nada disso ainda, pretendo...rs

      Excluir
    2. Bom dia! Que pena, Wagner. Acredito que todos estamos loucos para ver a obra acabada, rsrs.

      A dúvida seria na fixação da esquadria. Em alvenaria convencional ela é chumbada, quebra-se a lajota e tal. E com o tijolo solo cimento? Em pesquisa na internet achei pouca coisa, mais intuitivo mesmo. Penso que deve-se deixar uma folga no vão e a fixação do marco é feita com espuma expansiva. Será isso mesmo? Qual seria a folga?

      Excluir
    3. Olha, espero um 2016 mais produtivo pois esse ano muito pouca coisa evoluiu.

      Então, não sei dizer exatamente, mas vi uma obra onde usaram esquadrias de alumínio ou PVC. Vi no momento depois que fixaram os marcos e me parece que usaram grapas e chumbadores, parafusados no tijolo.

      Pode ser usado espuma também, mas acho que aí seria o caso para batentes de madeira. Nada impede você parafusar as grapas, fixar as esquadrias e usar a espuma para vedação/travamento. Não acho que precisaria de uma folga padrão, vai depender de quanto espaço será necessário para travar a esquadria na grapa ou chumbador. A espuma mesmo em pouca quantidade fixa legal, as portas de madeira e batentes que tinha em minha casa antes da reforma eram fixadas apenas com ela, sem pregos, o travamento era total!

      Espero em breve ver esse procedimento na prática, pois meu foco agora é tentar fazer o fechamento da casa toda, para depois realmente partir para o acabamento interno.

      Obrigado!

      Excluir
    4. Obrigada pela resposta. No caso seria esquadria de madeira mesmo.

      Estou fazendo um trabalho da faculdade (faço arquitetura) de detalhamento executivo de alvenaria de solo cimento e esquadria de madeira, do início ao fim da obra. É muito difícil encontrar material sobre isso, com tantos detalhes. Seu blog me ajudou muito. Obrigada por compartilhar conosco sua experiência e por sempre responder a galera.

      Torço para que em 2016 você possa evoluir bastante com a obra.

      Muito obrigada! Abraço!

      Excluir
    5. Obrigado Jéssica, agradeço os votos e desejo tudo de bom para você também em seu trabalho!

      Excluir
  6. Boa tarde de Wagner. Não deixe de postar, tem muita gente interessada no conteúdo. O seu blog é muito bom ! Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Olá Marianne, obrigado! Agradeço os elogios e peço desculpas, estou um pouco ausente em virtude da total paralisação da obra, mas isso tem dias contatos! Em breve terei novidades!!

    ResponderExcluir
  8. oi , fiz minha casa com tijolo ecologico e agora estou com uma duvida cruel , ele agunta pendurar armário na parede ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, claro! Normalmente...se o tijolo estiver a vista vai ficar mais fácil. Você deve fixar a bucha+parafuso sempre no meio do tijolo ou entre eles se preferir. Nunca fure onde o tijolo tem o vazado dele, pois aí não haverá parede para sustentação. O grande lance é furar onde ele é maciço, aí vc terá o suporte necessário.

      Excluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente não tive problemas
      100% finalizada a obra.
      Profissionais especializados

      Excluir
  10. boa tarde estou passando por um problema e preciso muito de orientação, construí uma casa com este tijolo ecológico de solo e cimento faz uns 5 meses, e de algumas semanas para cá as paredes estão enchendo de trincas, já verificamos o alicerce esta intacto e a laje também, fizemos tudo como manda a construção com este tijolo deixamos ele aparente passamos rezina no lado externo e pintamos por dentro mas agora cada dia parece uma nova fissura nas paredes,
    mandamos o tijolo para fazer um ensaio para ver se passa nas normas de fabricação, estou desesperada não sei oque fazer, preciso muito de uma orientação por quem já passou por isso....
    samiragugui@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samira, oba tarde. Precisa ver exatamente o que são essas trincas, se são estruturais ou apenas de movimentação. De qualquer forma, não deveria trincar depois de pronto, pois não deve haver movimentação considerável.

      Minha casa tem mais de 3 anos de pé e não tem trincas novas, só tive trincas em paredes que tive que mexer, tirei amarração, aí movimenta e faz trinca bem fina na face do tijolo, o que pode ser corrigido com rejunte marron ou até trocando a face do tijolo.

      É muito importante que você descubra se são trincas estruturais, que indicariam movimentação na parede ou na fundação. O tijolo precisa ser testado quanto a resistência mecânica, um ensaio que oficinas como Senai conseguem fazer, precisa ir atrás para entender como conseguir esse serviço.

      Quer tentar tirar fotos dessas trincas e me mandar? solocimentocps@gmail.com

      Excluir