quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Obras Acessórias

Mas Não Menos Importantes


Como dito no último post, estamos em um período de planejamento dos próximos passos, uma redução drástica do ritmo da obra para poder ter algum fôlego quando pudermos realmente retomar as ações necessárias para acabar essa novela.

Isso não impediu providenciarmos algumas melhorias e obras que precisavam ser feitas em algum momento. Dentre elas: eletrodutos para entrada e saída de energia, nova tubulação de entrada de água da rua, um dreno para a posteridade e dois pequenos radiers que eram pretensões antigas e parte integrante das providências para as demais obras.

Vamos por partes: a casa antiga era habitada, ou seja, tinha toda a estrutura básica de entrada de água e energia. Por que então refazer? Bom, embora da área de tecnologia, sou engenheiro e essa é uma casa de um engenheiro. Não me conformaria com um duto de 3/4 com um fio de 16 mm, num quadro de 12 disjuntores. Isso atenderia uma casa pequena como ela era, não as necessidades de uma carga instalada de 48.920 watts, considerando todos os circuitos do projeto elétrico, ligados ao mesmo tempo. E não tem nada que me deixe mais put...frustrado do que tentar fazer um serviço simples de levar um fio do quadro de força até o poste de entrada de serviço e ser barrado por um duto pequeno ou tortuoso de mais. Não caprichei nos projetos e na execução para depois, durante o desfrute da casa, me deparar com esse tipo de impedimento. Ainda mais considerando que eu mesmo faço esse tipo de serviço e me estressaria bastante nesse caso. Passamos então 3 eletrodutos corrugado, de 63 e 40 mm, da entrada de serviço (poste) até o quadro, com caixas de passagem de alumínio a cada 15 metros no máximo e assim deixar o caminho livre para iniciar a elétrica.

A entrada de água acabou sendo refeita por tabela, uma vez que para abrir as valas para o dreno e os eletrodutos, tivemos que contratar uma mini-escavadeira e durante o trabalho o cano e o que mais estava alí enterrado foi removido.

Já o dreno, esse um sonho antigo, acaba parecendo piada na atual situação das represas do Cantareira. Como já falei aqui algumas vezes, estamos em área de várzea, sujeita a alagamentos em situações específicas. Quando as represas do Cantareira estão completamente cheias como aconteceu no final de 2009, são abertas as comportas e isso eleva o nível dos rios da região. Nível alto + várzea = alagamento. Como subimos bastante todo o nível do terreno e se formou uma vala entre meu terreno e o vizinho, existia alí um risco de termos água empoçada na ocasião de chuvas muito fortes ou alagamentos. Não haveria como fazer esse dreno no futuro, sem danificar as tubulações de água e energia, então era o momento, decidimos por fazer aquilo que se fará valer a pena durante a situação extrema de uma inundação, algo bem distante da realidade do momento, mas não totalmente descartada para daqui alguns bons anos caso as represas se recuperem.

Os dois radiers e um muro de arrimo para suportá-los, são melhorias e novas construções além do projeto inicial da casa. Um aumenta a área pavimentada da casa, criando uma varanda no quarto voltado para o fundo. O outro é uma área de pequena de 7 x 2,50 m que abrigará um canil e uma pequena oficina, um projeto novo que venho desenhando para acrescentar benfeitorias à casa.

O plano traçado:

Disposição dos dutos

A execução:

Mini-escavadeira que ajudou a abrir as valas
Montando as ferragens e caixarias
Concretagem das vigas

Concretagem do radier
Desempeno

Se a betoneira tivesse vindo com água suficiente, teria ficado melhor...

Concretando o dente do radier original para expandir a área pavimentada e ter mais uma varanda

Agora é só fazer a massa de fundo e regularizar para poder receber o revestimento

E o dreno:

Esticando o tubo drenante da Kanaflex

Enchendo de brita 1
Para depois envolver tudo com a manta geotextil (bidim)
Praticamente 70 metros de tubo drenante

Bastava então cobrir de terra
E assim foi feito
Pudemos então enterrar os eletrodutos acima do dreno e subir o nível da vala no limite do terreno
O que sempre foi uma vontade antiga, reduzir grandes desniveis e valas no terreno pós terraplenagem
Já consigo imaginar tudo gramadinho e uma bela piscina, nem que seja de plástico...rs


Um dia tudo isso vai realmente valer a pena e ser motivo de orgulho, servindo a família e amigos, sendo um lar de mais conquistas e qualidade de vida. É o que temos perseguido, dia após dia.




E chegaremos lá!





2 comentários:

  1. esse ,bloco canaleta vc usou aonde na casa

    como foi a colocação das porta e janela qual foi a metragem e tolerância e chumbada ou parafusada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bloco canaleta usamos nas cintas de amarração a 1,10, 2,20 e no respaldo da laje. Em alguns vãos maiores de 2 metros, usamos também mais uma cinta de canto a canto, com a ferragem e o concreto preenchendo a canaleta.

      Portas e janelas ainda não colocamos, mas como o tijolo é de 25 cm, você só conseguirá vãos múltiplos disso ou de 12,5 cm que é o meio tijolo. Acho que vãos apenas usar espuma expansiva para travar as portas.

      Excluir