quarta-feira, 19 de junho de 2013

Executando o Primeiro Passo: o Projeto

A Importância das Definições Antes de Começar


Não importa se por um arquiteto, engenheiro, projetista, por você ou baixado na internet. Construção em alvenaria estrutural precisa obrigatoriamente ter um projeto completo!

A primeira premissa a se considerar é que tijolo solo-cimento não se quebra, não se bate, não se parte. Pode-se até recortar um tijolo, mas a estrutura da parede depende da união de todos os tijolos, a tensão é distribuída por toda a parede, não em colunas como na alvenaria convencional. Esqueça aquela cena de tijolo sendo quebrado para dar o vão de porta correto, da talhadeira na parede abrindo o espaço para o conduíte do espelho de luz ou ainda aquela ideia de última hora de se colocar uma janela naquela parede.

Vou detalhar mais a frente como é feita a montagem da alvenaria, mostrando os grouts, grampos, as cintas de amarração, etc, mas deve-se considerar que por esses fatores acima tudo tem que ser muito assertivo na construção com esse tijolo para que não haja retrabalho, remendo ou adaptação. Hidráulica e elétrica tem lugares pré-definidos e praticamente imutáveis durante a obra, uma vez que passam pelos furos existentes nos tijolo. Por ser uma construção modular, vãos livres de portas, passagens e janelas possuem medidas exatas e múltiplas do tamanho do tijolo ou meio-tijolo, sendo esse a menor divisão que se pode ter como dimensão.

Um bom projeto faz toda a diferença para o resultado final e pode inclusive ser o determinante para o sucesso ou fracasso da obra. A coisa chega em um nível de detalhamento que toda a primeira fiada (e consequentemente o restante) deve ser feita exatamente como está no projeto, onde há um tijolo inteiro ou meio tijolo, onde há amarração, onde há o grout (principalmente), onde existirá tubulação, até no detalhe de todas as conexões já previstas em planta: tê, joelhos, misturadores, registros, bitola dos canos, caixas de luz e conduítes. Não há margem para o erro e não há espaço para grandes mudanças depois da obra em curso. Diversos profissionais envolvidos com projetos omitem algumas informações no projeto ou deixam de projetar por exemplo a elétrica, alegando que isso é simples e pode ser definido durante a obra. Nesse caso isso não existe! Todo o projeto tem que estar na mão de quem vai construir com um bom nível de detalhamento.

Aí entra a importância do responsável pelo projeto, pois ele deve pensar nas mais variadas situações, definir muito bem a localização da hidráulica e elétrica (que sobe junto com a alvenaria), fazer a correta modulação dos cômodos e também entender as necessidades dos espaços junto ao proprietário. Considerando que projetar uma casa, mesmo na alvenaria convencional, já é algo complexo, imagina um projeto como esse!

Já para o proprietário da futura casa é importante pensar longe, imaginando possíveis alterações/ampliações, eventuais necessidades nos espaços, pensar que determinadas escolhas não poderão ser desfeitas por questão de segurança. Deve-se ter em mente a exigência estrutural dos elementos do projeto.

Eu tive a felicidade de encontrar um profissional muito experiente, cheio de ideias e soluções eficazes, com muita bagagem e propriedade para dizer o que daria certo ou não. É uma situação muito delicada delegar a alguém as decisões de como será sua casa. Pelo menos para mim isso gerava uma aflição enorme, a pressão e o medo de errar, a cobrança por pensar em tudo e me imaginar dentro daquela casa exposta apenas no papel, a vontade de ter algo perfeito mesmo com o passar dos anos e eventuais novas necessidades que surgem com a vida. O sr. Carlos Fachinelli da Mult Técnica Projeto e Administração foi o grande responsável pelo sucesso da obra nos dias atuais, responsável também por viabilizar o nosso sonho para o papel. Com mais de 20 anos de experiência, muita sabedoria e paciência, nos aturou (e ainda tem que aturar) por 2 meses até a aprovação do estudo e o restante do tempo durante a elaboração do projeto arquitetônico, estrutural, hidráulico e elétrico. Chegamos até ele por indicação dos principais construtores e fornecedores de tijolos solo-cimento de Campinas e eu particularmente tentei não influenciá-lo com alguma ideia fixa além da limitação orçamentária e necessidade funcional da casa. A resposta dele a isso foi uma superação de todas as ideias que tivemos, soluções para todos os problemas que não conseguíamos resolver e uma casa que se tornou nossa obsessão. Isso porque ela ainda está em construção, tenho certeza que quando pudermos tirar proveito de tudo que foi pensado, agradeceremos ainda mais por sua contribuição.

O resultado foi progredindo dessa forma:

Primeiro Estudo apreciado e não aprovado.


Perspectiva do estudo não aprovado

Depois que soltamos as amarras que limitavam o tamanho da construção:

Planta baixa do estudo aprovado




Perspectiva final do estudo aprovado

Fachada prevista

Isso resultou em 206 m², com varandas amplas, cômodos em tamanhos razoáveis e um aproveitamento ótimo e minimamente danoso da estrutura da casa que já se encontrava no terreno, como exposta no primeiro post do Blog Solo-Cimento, Iniciando os trabalhos.... Note que a parte da planta baixa acima que não possui a modulação do tijolo, já estava construída e queríamos aproveitar o máximo que pudéssemos, sem grandes demolições ou prejuízos para o que já estava em pé.

E foi assim que demos o primeiro passo para nosso grande sonho sair do papel. Vou postar depois alguns detalhes das plantas executivas para dar uma ideia do nível de detalhe e do tipo de informação que consta nesses projetos.


2 comentários:

  1. Ilustre, saudações. Antes de mais, devo parabeniza-lo pelo blog, extremamente esclarecedor. Sou Angolano, engº de estruturas e pretendo levar a cabo esta tecnologia em algumas obras. No entanto, vejo-me com dificuldades em projectar com este material, uma vez que estou a sair do CAD para o BIM (Revit). Por acaso conhece alguma forma de representar os blocos em Revit? Quais sao as alternativas mais rápidas para representar este material?

    Um abraço,

    Saulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Saulo, obrigado. Desculpa, não saberia te ajudar com Revit, nunca mexi com BIM e até no AutoCAD não tenho grande domínio.

      Abraço!

      Excluir