terça-feira, 24 de setembro de 2013

Telhamento OK (Telhado 7)

Casa Coberta, A Principal Meta Parcial Atingida


Esse é o marco que almejamos todo esse tempo e sabíamos que seria difícil atingi-lo. Mas se havia uma coisa que precisava ser feita, um conjunto de ações contínuo que não poderia ser interrompido sobre risco de prejuízo, um porto seguro que precisávamos confiar e batalhar para alcançar, era esse momento da casa coberta, construção bruta finalizada com a conclusão do telhado.

Antes mesmo de começar a obra, existiam inúmeros receios de que não conseguiríamos terminar. De fato, esse risco é real e importante de se levar em consideração, é até algo que pode vir a nos acontecer e acontece com muitos outros que travam a mesma batalha. Diante disso, meu procedimento pessoal é procurar identificar os riscos e traçar um plano de ação com algumas saídas para o caso de a coisa não evoluir como se espera. Na tentativa de ser racional identifiquei que, ao menos até a conclusão do telhado, nós teríamos que chegar. Primeiro porque uma vez coberta a casa, minimizam-se os prejuízos de uma paralisação, outra porque seria um grande avanço chegar até essa fase, o que simplificaria e reduziria bastante as pendências e tarefas faltantes para a conclusão completa e nossa tão esperada mudança. Nós tínhamos que conseguir isso a qualquer custo, aproveitando a MO já contratada, aproveitando as boas condições climáticas, aproveitando o atual momento de dedicação, empenho pessoal e financeiro, valorizando e intensificando o sacrifício exercitado ao longo do processo.

Essa postura sem dúvidas me custou alguns fios de cabelos e talvez algum tempo de vida, pois considero a conclusão da construção bruta, um percentual de 80% de toda a obra, no quesito esforço, tempo e criticidade. Financeiramente, pode representar menos, uma vez que o acabamento influi em milhares de opções e custos somados que podem ultrapassar facilmente metade de tudo que já foi gasto até então. Mas para se botar uma casa de pé, embutir toda a infraestrutura, garantindo segurança, manutenção e usabilidade, deve-se cumprir passos valiosos, bastante críticos e complexos. Concluir isso sem dúvida é tirar um enorme peso das costas.

Reduzimos o peso então, nesse final de semana. A casa foi praticamente toda coberta, restando apenas alguns arremates e para completa segurança, a execução de rufos e outros serviços de serralheria/calheiro. Os resultados validam todo esse sacrífico que citei acima e por mais difícil que seja a continuação do processo, ter essas imagens em mente ajuda muito a incentivar mais esforços e mais dedicação.






Sensação ímpar chegar nesse ponto e respirar fundo aliviado, com a sensação de dever cumprido. Mesmo que ainda reste muito para nos mudarmos, nós tínhamos uma meta e ela foi atingida. Tenho para mim que quando a conquista é muito grande, precisamos mirar em algo menor, dar um passo atrás em sua pretensão e imaginar-se feliz mesmo com algo que antecede o objetivo maior. Para nós, ter a casa nesse estágio é uma vitória grandiosíssima que faz das coisas que faltam, menos importantes. Foi para chegar nesse momento que vivemos esses dias tão difíceis e tão intensos. É uma realização muito grande e motivo de muita alegria postar isso aqui hoje, relembrando tudo que vivemos até então.

Longa vida a nossa casa, longa vida ao trabalho e longa vida aos sonhos! Vivemos para isso, caso contrário não valeria a pena vivermos tanto tempo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário